Novas orientações da OMS defendem o diagnóstico precoce para salvar vidas

 

 

A cada ano, 8,8 milhões de pessoas morrem devido ao câncer – informa a Organização Mundial da Saúde (OMS) nos novos números divulgados no marco do Dia Mundial do Câncer, 4 de fevereiro. A entidade também apresenta novas orientações para melhorar as chances de sobrevivência de pessoas que vivem com câncer com a realização de diagnóstico e tratamento precoces.

 

Um dos maiores desafios para reduzir a mortalidade é o fato de que muitos cânceres são diagnosticados em fase avançada, inviabilizando ter bons resultados. “O diagnóstico do câncer em estágios mais avançados e a impossibilidade de receber tratamento condenam muitas pessoas a sofrimentos desnecessários e a uma morte precoce”, avalia Ettiene Krug, diretor do Departamento de Doenças Não-Transmissíveis, Deficiência Física, Violência e Prevenção de Lesões da OMS.

 

“Adotando medidas para aplicar as novas orientações da OMS, os planejadores da atenção à saúde podem melhorar o diagnóstico precoce do câncer e garantir um tratamento rápido, especialmente para os cânceres de mama, cervical e colorretal. Isso resultará em mais pessoas sobrevivendo à doença. Também será menos dispendioso tratar e curar pacientes com câncer”.

 

O novo guia da OMS sugere que os países podem melhorar o diagnóstico precoce de câncer com três medidas:


•    Sensibilizar o público sobre os sintomas do câncer e encorajar as pessoas a procurar ajuda quando eles aparecem.


•    Investir no fortalecimento e equipamentos dos serviços de saúde e na formação dos profissionais de saúde para que se realizem diagnósticos exatos e oportunos.


•    Garantir às pessoas que vivem com câncer acesso a tratamento seguro e eficaz, considerando o alívio da dor, sem incorrer em dificuldades pessoais ou financeiras proibitivas.

 

Como os maiores problemas estão nos países de baixa e média renda, que muitas vezes não têm condições de oferecer diagnósticos eficazes, a OMS sugere que esses países priorizem serviços básicos de diagnóstico com grande impacto e baixo custo. 

 

Outra consideração do documento defendendo a importância do diagnóstico precoce é que ele possibilita que o tratamento seja realizado nas primeiras fases, quando é mais barato e ainda permite que as pessoas possam continuar trabalhando e apoiando suas famílias. Estudos feitos em países de alta renda demonstraram que o tratamento precoce é de duas a quatro vezes menos dispendioso se comparado ao que é feito em fase mais avançada.

 

Em 2010, o custo anual total do câncer (medido por gastos de atenção à saúde e pela perda de produtividade) foi de cerca de US$ 1,16 trilhões.

 

 

Números

 

Os cânceres são responsáveis por quase um em cada cinco mortes no mundo. Mais de 14 milhões de pessoas desenvolvem cânceres por ano – acredita-se que esse número chegue a mais de 21 milhões em 2030. Nas Américas, o câncer causa cerca de 1,3 milhão de mortes por ano. 

 

Nos países de baixa renda, menos de 30% têm serviços de diagnóstico e tratamento acessíveis. 

 

Para reduzir essas mortes em 25% até 2025 e em um terço até 2030, a OMS e a comunidade internacional estabeleceram metas que foram aprovadas pelos países. Entre elas está a disponibilização de tecnologias médicas básicas e acessíveis, medicamentos essenciais para tratar cânceres e outras condições nos estabelecimentos de saúde.

 

Saiba mais sobre as novas orientações no site da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), escritório regional para as Américas da OMS.

 

 

 

 

 

 

== Página Inicial ==